segunda-feira, setembro 03, 2007

AMOR E MORTE


Sophya levanta-se do seu leito sem dirigir a palavra a nenhum dos presentes, ficando Athertyssen sentado e com um ar complexo, mas também ele não diz nada. Sarak faz um sinal discreto a Hilla para ir averiguar o que se passou com Sophya, e este por sua vez também sai calmamente com Sufranon pousado no seu ombro, enquanto Bulkur é o único que permanece na divisão em frente de Athertyssen mantendo um ar penetrante mas sereno.
"Jovem príncipe, ajudai-nos a compreender o que acabou de se passar, sinto que se perdeu a harmonia do nosso grupo... contudo não sinto que tenha havido alguma malícia de vossa parte... quereis elucidar-nos?" - Perante estas palavras, Athertyssen suspira e levanta-se e constata que Ash também já está acordado, um bocado enfraquecido...mas está atento à conversa. "Ash... tu viste aquelas criaturas que eram como nós, não viste? Acontece que eu fui seduzido pela réplica da Sophya... e ia-me conseguindo coagir a revelar onde estamos e o mais certo seria morrer depois disso... mas a Sophya salvou-me." - Ash franze o sobrolho, e com a ajuda de Bulkur senta-se a custo na cama - "Sabes... eu e o Bulkur notámos desde o início que além do seu dever de te proteger, ela sentia algo mais...mas ela sempre conseguiu lidar com isso... até porque no passado ela perdeu alguém muito querido... morreu-lhe nos braços... chamava-se Knagaar e dominava com mestria o arc, tal como tu, quando nos conheceste éramos chamados os "três magníficos"... mas na verdade éramos quatro, ele era o quarto elemento." - Athertyssen anda em círculos pela sala sem saber o que dizer e o que fazer e dá um murro na porta - "Caramba... não conseguiram arrancar de nós a localização da nossa fortaleza, mas conseguiram confundir-nos e virar-nos uns contra os outros! Pelo menos um confundiram.... mas que posso eu fazer agora?!" - Ash e Bulkur entreolham-se, e Bulkur encolhe os ombros - "Na verdade não te podemos culpar... mas tens que compreender que és o filho de Etharmark, és aquele que nos vai salvar do Senhor das Sombras, consegues imaginar a responsabilidade que recai sobre nós os três como a tua guarda pessoal? E a Sophya já sofreu muito por não ter conseguido proteger alguém que amava, mas era um de nós, nós que não tememos a morte e que nunca sabemos se vamos sobreviver a cada dia que passa... mas tu, não podes morrer de maneira nenhuma..." - Athertyssen engole em seco e não se permite a si próprio desviar o olhar dos seus companheiros, ele sabe que eles fariam tudo para o proteger, mas não consegue deixar de olhar para eles como seus iguais - "Eu sinto-me honrado por vos ter ao meu lado, mas acham que foi fácil para mim aceitar o meu destino? Eu agora já aprendi a lutar, mas no fundo sou um rapaz... ainda não consigo lidar bem com as minhas emoções... mas isto não pode ficar assim... eu tenho que ir falar com ela..." - Ash e Bulkur concordam - "Sim...será o mais sensato a fazer, poderás não saber ainda lidar com as emoções... mas és firme nas tuas decisões, é uma honra servir-te!" - Athertyssen cora e sai da divisão.
Na parte superior das muralhas, Sophya observa o horizonte com Hilla a seu lado, - "Agora compreendo a tua reacção... mas estás consciente de que isso poderá afectar a harmonia que existe entre nós?" - Sophya suspira dando voltas ao seu punhal, - "Sim... mas eu não o odeio, eu gosto dele sim... mas esse não é o meu posto, a minha devoção por ele estará sempre em primeiro lugar... ele entregou-se a mim sem hesitações... quer dizer... àquela criatura aberrante igual a mim... é disso que eu tenho medo, de deixar as emoções toldarem o raciocínio...." - Hilla vislumbra o céu e sente um silêncio incómodo e olha para trás. Athertyssen está com um ar expectante - "Tia, permites-me falar a sós com a Sophya?" - Hilla passa a mão pelo ombro de Sophya e permite a Athertyssen aproximar-se fazendo-lhe uma vénia e beijando-lhe a mão, - "Confio em ti para resolveres este assunto da melhor maneira, sobrinho." - Athertyssen retribui o beijo e sorri para Hilla, que já se afastou do local. Sophya vira-se para Athertyssen com um olhar carregado e melancólico, e Athertyssen olha para ela durante algum tempo antes de falar, - "Eu já soube da tua perda no passado... sinto muito... mas sabes que o que me traz aqui é outro assunto... eu vi nos teus olhos a decepção..." - Sophya está de braços cruzados com os olhos a vislumbrar o vazio e interrompe Athertyssen, - "Tu não me decepcionaste... apenas fizeste o que eu mais temia, a minha obrigação é ver-te como o futuro rei que eu tenho de proteger, por mais que goste de ti, não me posso permitir a revelar tais sentimentos, só tornam a minha tarefa mais penosa. Se queres saber, eu não te odeio... e sim, sou capaz de te amar, mas não agora nem nestas condições... não me importo de agires como se estivesses entre companheiros, mas peço-te que te retraias e te concentres em conduzir-nos à liberdade, sabes sempre que te irei seguir, mas nada mais que isso, por agora." - Athertyssen não discute a posição de Sophya e acede a deixar Sophya beijar a sua mão para reforçar a sua lealdade. - "Será uma honra servir-te em qualquer local e em qualquer altura..."

0 comentários: