sexta-feira, abril 27, 2007

USURPADORES




Sufranon voa em círculos pela câmara até encontrar um poiso e daí observa as expressões agitadas do rosto de cada um, visivelmente preocupado e ansioso com a recuperação de Sarak - "É preciso que ele recupere as forças rapidamente, temos de as impedir de conseguirem o pior!".
Completamente afastados do que se passa naquela câmara estão Ash, Sophya e Athertyssen, que estão a ser subjugados na ilusão criada por Aschka e as suas irmãs que se divertem a vê-los em pânico.
"Minhas irmãs... estamos quase a descobrir onde se escondem os ratos que se atravem a fazer-nos frente...só temos que ser mais impetuosas com estes três... mas ainda dá tempo para nos divertirmos mais um pouco..." - Aschka com um gesto de mão cria três criaturas que são réplicas perfeitas de Ash, Athertyssen e Sophya, que com um segundo gesto imitam-nos na perfeição e logo se separam e começam a vaguear pela floresta. Neste momento já Sophya recuperou do choque de ter visto Athertyssen e Ash mutilados, pois essa visão desapareceu tão rapidamente como surgiu, e as roupas dela não foram rasgadas nem ela foi violentada pelas suas inimigas...- "Algo de estranho se passa aqui, mas não me consigo lembrar de nada...mas que..." - enquanto pensava, algo despertou os seus sentidos, e com a mão sobre o punho da adaga, gira rapidamente sobre os seus calcanhares e é confrontada consigo própria! Sophya recua incrédula, enquanto a outra limita-se a atacar grunhindo, mas é surpreendida pela destreza de Sophya que esquiva-se habilmente e quebra-lhe o pescoço, deixando depois cair a criatura no chão. "Mas que raio eras tu...? Será que...?!" - Sophya ao pensar no que lhe aconteceu, num ápice vai procurar pelos seus companheiros mas algo lhe prende o pé... afinal a sua usurpadora ainda está viva e nada afectada pelos golpes que sofreu, e num rápido movimento pontapeia Sophya que é projectada contra uma árvore e fica inconsciente. A criatura prepara-se para aniquilá-la erguendo uma pedra suficientemente grande para lhe esmagar o crânio até que ouve gritos mais adiante e resolve deixar Sophya a jazer ali.
Athertyssen grita desalmadamente pelos seus companheiros, até ouvir a voz de Sophya, e corre até a encontrar a tomar banho nua numa lagoa, ficando completamente embaraçado - "Ah...desculpa...eu viro-me para que te possas vestir..." - mas Sophya ri-se e faz-lhe um gesto convidativo - "Não precisas de pedir desculpa, e se viesses descansar para aqui...?". Athertyssen fica surpreendido, mas acede ao convite, despindo-se e entrando lentamente na água fria da lagoa, e Sophya vai logo ao seu encontro, esfregando o seu corpo no dele. Athertyssen está completamente atraído por Sophya e não resiste aos seus encantos, e toma-a nos seus braços e possui-a ali vigorosamente, mas depressa começa a sentir um mal-estar...o mesmo que sentiu quando se submeteu a Aschka na noite em que se infiltraram na masmorra secreta de Hyraktar, e no momento em que recupera a presença de espírito depara com um par de olhos de serpente a questioná-lo sobre tudo o que sabe...e agora já se apercebeu que aquela não é Sophya, mas o olhar concentrado da usurpadora é demasiado forte para que Athertyssen consiga evitar que lhe leia a mente e por mais que tente manter a mente um poço vazio, ela vai ganhando terreno... e com uma força descomunal aprisiona-o entre as suas pernas e solta um guincho estridente que o deixa horrorizado e indefeso!

0 comentários: