sexta-feira, agosto 25, 2006

O ATROZ



Rapidamente recuperam a presença de espírito quando ouvem ruídos de passos para lá da porta de ferro ao fundo da masmorra. Athertyssen repara na expressão de receio de alguns dos prisioneiros e aproxima-se de uma das celas para falar com o ancião, cujas mãos tremem sem parar - "Diz-me, meu amigo...quem é esse atroz?" - o velhote treme ainda mais perante o olhar surpreso de Athertyssen - "Nunca ninguém lhe viu o rosto... ele não é uma pessoa, é uma máquina de matar sem coração... diz-se que é um mercenário que serve aqueles que possam satisfazer a sua sede de sangue... o ouro não lhe interessa...é um demónio! Todas as pessoas que ele vem aqui buscar nunca mais voltam! Os meus filhos...todos..." - , começa a soluçar e Athertyssen sente-se incapaz de dizer o que quer que seja até que Sophya lhe chama a atenção - "Os guardas de Hyraktar não vinham muito bem armados...no entanto toda a ajuda serve...vamos usar as roupas deles talvez possamos passar despercebidos, e estas armaduras apesar de leves têm alguma resistência..."-, Ash pega em duas espadas e corta o ar com as suas novas armas -"Não são como as minhas companheiras...lá terão de servir...algo me diz que para lá daquela porta avizinham-se grandes sarilhos..."-, Athertyssen e Sophya olham para Ash com um ar preocupado. De repente a pesada porta abre-se rangendo...e eles contemplam a mais bizarra figura...que não ficando surpreendido com a presença deles, solta um grunhido e avança, envolto numa armadura metálica laminada e adornada com picos, empunhando um enorme machado de guerra. Horrorizados constatam que da viseira escorre sangue, e o horror intensifica-se que na outra mão tem um braço que parece que foi arrancado à dentada!
Embora protegidos pela ilusão de que são servos de Hyraktar, sentem-se intimidados com a presença deste ser monstruoso, o que será algo suspeito - "Ah...o nosso senhor mandou-nos no encalço dos inimigos que se infiltraram cá..."-, Athertyssen procura um ar inquiridor, tentando não parecer intimidado enquanto o "Atroz" levanta a viseira do elmo para morder mais um bocado de carne do braço que tem na mão e cospe sangue para o chão -"Hmmm...não vi ninguém...mas era bom variar... já estou farto desta carne..."- e atira o braço para um buraco que conduz a algum fosso de animais...pois logo a seguir ouvem-se rosnadelas e o som de mastigar ossos. Virando-se para uma das celas onde está uma menina chorosa e encostada a um canto ele assobia-"A carne mais tenra é a melhor carne!"-, mas ao preparar-se para abrir a cela, Athertyssen lança um grito encolerizado e lança-se de espada em riste sobre o "Atroz", que sente o frio metal atravessar-lhe o ombro...mas ri-se e dá um murro com as costas da mão na cara de Athertyssen que é projectado contra uma parede, Ash e Sophya ficam aterrorizados com a indiferença do "Atroz" ao seu ferimento! Num movimento rápido ele consegue retirar a espada e virar-se para os três de machado em punho, mas neste momento Athertyssen está inconsciente e do outro lado ouvem-se vozes dos guardas de Hyraktar, e em breve aquele sítio estará pejado deles.

0 comentários: